Maestro João Carlos Martins rege a Orquestra de Cordas Bachiana Filarmônica SESI-SP em Ribeirão Preto

    Concerto será realizado neste domingo (21), às 16h no Theatro Pedro II, em Ribeirão Preto. A apresentação é gratuita, mas está com os ingressos esgotados. Uma hora antes, serão distribuídas senhas para vagas de desistentes

    O maestro João Carlos Martins em concerto com a Orquestra de Cordas Bachiana Filarmônica Sesi-SP (Foto: Fernando Mucci/Divulgação)
    O maestro João Carlos Martins em concerto com a Orquestra de Cordas Bachiana Filarmônica Sesi-SP (Foto: Fernando Mucci/Divulgação)

    Parafraseando Ludwing van Beethoven, “a música é o vínculo que une a vida do espírito à vida dos sentidos”. Tal vínculo é disseminado com verdadeira paixão pelo Maestro João Carlos Martins, que, em novembro rege a Orquestra de Cordas Bachiana Filarmônica do SESI-SP em concerto gratuito em Ribeirão Preto. A apresentação acontece no domingo, dia 21, às 16h, no Theatro Pedro II.

    O espetáculo, cujo programa apresenta obras de músicos e compositores renomados, é marcado também pela interação entre público e Maestro, que compartilha fatos e curiosidades do cenário da música erudita no Brasil e no mundo. Na oportunidade, serão seguidos todos os protocolos vigentes contra o coronavírus, incluindo dispenser com álcool gel na entrada, distanciamento entre as poltronas e uso obrigatório de máscara pelo público nas dependências do Theatro.

    ‘Este projeto está alinhado com os valores do Maestro, de levar a música erudita para as mais diversas plateias do país, com o intuito de propagar a cultura erudita às pessoas que, muitas vezes, não tem acesso”, comenta o coordenador do projeto, Anderson Horácio. Os ingressos são limitados e distribuídos online a partir do dia 11/11 (segunda-feira) pelo site www.dcolor.art.br/ingressos.

    Considerado um dos maiores intérpretes de Bach pela imprensa internacional, João Carlos Martins fez seu primeiro recital no Carnegie Hall aos 21 anos, tocando com as maiores orquestras americanas e europeias. Uma série de problemas nas mãos fez com o que o músico retomasse a carreira como regente e, embora tenha anunciado sua aposentadoria dos pianos no início de 2019, voltou a tocar o instrumento em janeiro de 2020, graças a uma luva biônica.

    Serviço